terça-feira, 1 de setembro de 2015

A saudade do que não foi

Eu não sei te dizer o que exatamente que me emocionou tanto a ponto de não conseguir parar de chorar.
A história, a linda história, que não teve o final que a gente queria.

Eu me doo pelo outro. E no caso pela amiga que teve uma perda tão grande.
Me dói porque eu sei o que é ter um buraco que nunca vai ser fechado.
Me dói,  porque se fosse comigo, não sei se eu suportaria essa perda.
Me dói, pelo o que poderia ser e infelizmente a vida não quis assim.
Me dói, porque eu penso no meu "o que poderia ser e foi" que está vivo, mas deixou de ser.
Me dói, porque eu nunca consegui fazer e dizer tudo o que eu queria.
E tem aquela frase que me mata " e quando eu penso em tudo o que eu perdi por não dizer o que eu queria".
E tudo voltou à tona!
Eu sabia que isso estava guardado em algum canto. Tinha jogado pra debaixo do tapete pq eu precisava seguir a minha vida, eu precisava me mexer, eu precisava sentir algo novo.
Segui,senti, me estrepei, balancei e tô seguindo de novo. 
Daí vem aquela sensação de que tá faltando alguma coisa. Cadê aquela peça do quebra cabeça? Cadê a direção? 
Sabe, há saudade do que não foi. 
Há saudade do que era pra ser.
E apesar de as histórias serem diferentes, aquilo cutucou a minha ferida, arrancou a casca e agora sangra de novo.
Fazia um tempinho que eu não chorava assim.  
Vai ver, estava na hora de dar uma conferida pra ver se ainda estava por aqui, lavar,secar,e colocar de volta no armário.

Hoje minha terapeuta falou que são amores que não foram. O dela de certa forma foi vivenciado, o meu ficou no se... E que eu vi na história dela, a minha. O amor que não foi. 
Hoje eu falei muito, e o restante da história ficou pra semana que vem.